Pisa 05 de Novembro de 2018

Inep representa Brasil em reunião do Pisa em Praga

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) participa da 46ª reunião do Pisa Governing Board (PGB), entre 5 e 7 de novembro, em Praga, na República Tcheca. Os servidores do Inep, Luana Bergmann Soares, diretora de Avaliação da Educação Básica; e Edison Fernandes, da Assessoria Internacional, representam o Brasil na reunião do conselho diretor do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa).

Realizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a reunião apresentará os avanços desde a 45ª reunião, com uma atualização das últimas atividades da OCDE. Também serão apresentados os progressos com a implantação do Pisa 2018 e os preparativos para o Pisa 2024. Um dos destaques da programação é a discussão sobre a proposta de uma avaliação opcional de habilidades em língua estrangeira e a viabilidade de testar alunos com necessidades educacionais especiais. Ainda serão apresentadas novas versões das matrizes referenciais de Matemática e de Pensamento Crítico do Pisa 2021. A matriz referencial do questionário, a elaboração dos relatórios nacionais e disseminação do Pisa também estão na programação.

O Brasil participa do Pisa desde a sua primeira edição, em 2000, sendo o Inep a instituição responsável pela implementação e condução do programa no país. Essa participação tem permitido ao Instituto um crescimento no conhecimento técnico que vem sendo aplicado em avaliações nacionais, bem como na criação de novos indicadores. A participação no Pisa contribui, ainda, como subsídio para a elaboração de políticas públicas educacionais pelo Ministério da Educação.

Pisa – O Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, tradução de Programme for International Student Assessment, é uma iniciativa de avaliação comparada, aplicada de forma amostral a estudantes na faixa etária dos 15 anos, idade em que se pressupõe o término da escolaridade básica obrigatória na maioria dos países. A avaliação, totalmente feita em computador, abrange as áreas de leitura, matemática e ciências. Também são coletadas informações contextuais por meio de questionários aplicados aos estudantes, professores, diretores de escola, e, a partir desta edição, também aos pais dos estudantes. Em 2018, serão avaliados 19 mil alunos, de 661 escolas brasileiras.