Países Participantes

Atualmente, participam do Pisa os 34 países membros da OCDE e vários países convidados. Os resultados do Pisa 2012 congregaram 65 países – total que leva em conta algumas economias que não podem ser consideradas países, como Hong Kong, Macao, Shangai e Taiwan. Durante as edições também ocorrem alterações entre os participantes: em 2012 foram incluídos Vietnam, Chipre, Costa Rica, Emirados Árabes Unidos e Malásia. Outros países participaram da edição do Pisa 2009 e saíram da edição do Pisa 2012, como Panamá, Trinidad e Tobago, Quirguistão, Azerbaijão e Dubai (EAU). Essas alterações mostram que o estabelecimento de qualquer ranking entre países deve ser ponderado por edição do programa.

Grupo Ibero-americano do Pisa

O GIP – Grupo Ibero-americano do Pisa – surgiu a partir da constatação de que países como Brasil, México e Uruguai enfrentavam problemas semelhantes na implementação do Pisa e que, portanto, a colaboração entre eles poderia render bons frutos. Inicialmente concebido como um grupo dos países latino-americanos participantes do Pisa 2006, a união logo contou com a adesão da Espanha e de Portugal e acabou se identificando como Grupo Ibero-americano do Pisa. O GIP foi oficialmente instituído em setembro de 2005, em encontro patrocinado pelo Inep e realizado na cidade do Rio de Janeiro, com a participação de representantes de Argentina, Chile, Colômbia, Espanha, México, Portugal e Uruguai, além do Brasil. No Pisa 2009, três novos países latino-americanos participaram e foram agregados à constituição do GIP: Panamá, Peru e Costa Rica.

Desde a formação do GIP, tem sido intensa a colaboração entre os países participantes. Dentre as atividades desenvolvidas, destaca-se o Relatório Ibero-americano do Pisa 2006, elaborado conjuntamente pelos oito países participantes do Pisa à época, sob a coordenação de Espanha e México. Abaixo, segue a versão original desse relatório em espanhol.

Participação sul-americana

O Brasil é o único país sul-americano que participa do Pisa desde sua primeira aplicação, tendo iniciado os trabalhos com esse programa em 1998. Argentina e Peru fizeram parte, em 2001, da experiência Pisa Plus: um estudo longitudinal para desenvolver os domínios de Leitura, Matemática e Ciências ao longo de um ano escolar.

No entanto, em 2003, somente Brasil e Uruguai entraram no programa. No Pisa 2006 houve adesão de um número maior de países da América do Sul, com a volta da Argentina e a entrada do Chile e da Colômbia (além do Brasil e do Uruguai).

Em 2009, o Peru incorporou-se ao grupo, totalizando seis países sul-americanos. No Pisa Plus de 2010, participou, também, o Estado de Miranda, Venezuela.

Página atualizada em: 20 outubro 2015